Publié par fara

  20130208064251kab.jpg

Angola teve um papel determinante para que a paz e a estabilidade voltassem à República Democrática do Congo, disse ontem, em Luanda, Antoine Ghonda, embaixador itinerante do Presidente da República Democrática do Congo, Joseph Kabila.


Antoine Ghonda foi portador de uma “mensagem pessoal e de agradecimento” do Chefe do Estado congolês ao Presidente José Eduardo dos Santos, pelo seu empenho pessoal na procura de solução para o conflito no Leste da RDC.


“Angola acompanhou de perto a situação na RDC. Sou portador de uma mensagem de agradecimento pela participação de Angola na solução do conflito no nosso país”, disse aos jornalistas Antoine Ghonda, antes de sublinhar que “Angola desempenhou um papel muito importante para que a calma e estabilidade reinassem hoje RDC”.


O emissário do Presidente Joseph Kabila destacou a pronta disponibilidade do líder angolano em apoiar a RDC na procura de uma solução política para um conflito que atingiu proporções internacionais, por causa do envolvimento directo do Ruanda, denunciado pelas Nações Unidas.


“Para resolver o conflito, o Presidente José Eduardo dos Santos fez deslocar em missão diplomática uma importante delegação encabeçada pelo secretário de Estado Manuel Augusto, que viajou pelas capitais da região, incluindo o Congo Brazaville, Ruanda, Tanzânia e União Africana”, recordou Antoine Ghonda. O emissário do Presidente Joseph Kabila elogiou o desempenho da diplomacia angolana, sublinhando que a realização, na próxima semana, da conferência ministerial da Comunidade de Desenvolvimento dos Estados da África Austral (SADC) sobre o Corredor do Lobito, reflecte a diplomacia activa que é conduzida por Angola. A cidade do Lobito acolhe de 11 a 15 de Fevereiro uma conferência ministerial sobre o “Corredor do Lobito”, depois de em Dezembro último se ter realizado uma reunião de peritos, igualmente na província de Benguela.  O “Corredor do Lobito” vai do porto de mar às regiões mineiras da República Democrática do Congo (província do Catanga) e da Zâmbia (Copperbelt), atravessando em território angolano as províncias de Benguela, Huambo, Bié e Moxico.


Com aeroporto internacional, porto de mar e um dos mais extensos caminho-de-ferro de África, o “Corredor do Lobito” é apontado pelos peritos como um factor de desenvolvimento da região Austral, por constituir o eixo de exportação mais económico para os minérios da República Democrática do Congo e da Zâmbia para a Europa e América, e importação de bens para a região.
As principais infra-estruturas de transportes que integram o “Corredor do Lobito” são o Porto do Lobito, Caminho-de-Ferro de Benguela, Aeroporto Internacional da Catumbela e os aeroportos provinciais de Benguela, do Huambo, do Cuito e do Luena.

O “Corredor do Lobito” tem como finalidade a facilitação do acesso ao mar das províncias de Benguela, Huambo, Bié e do Moxico, e dos países vizinhos da região encravados, como a República Democrática do Congo e a Zâmbia.
 Os esforços de integração regional dos países da Comunidade de Desenvolvimento da África Austral têm no Caminho-de-Ferro de Benguela uma infra-estrutura determinante para a sua concretização.



 

                             J.A

 

Pour être informé des derniers articles, inscrivez vous :

Commenter cet article