Publié par fara

 

0,2397fb7f-7abd-4ce8-8667-5d1a423a8c07Uíge – O bispo da Igreja Tocoista, dom Afonso Nunes, solicitou sexta-feira, na cidade do Uíge, ao governo provincial no sentido de requalificação da zona do Ntaia, localidade onde nasceu o profeta Simão Gonçalves Toco. 
 
De acordo com o religioso, o Ntaia é uma localidade muito importante não só para os tocoistas mas também para o povo angolano.
 
Avançou que o Ntaia é o centro do tocoismo porque é lá onde nasceu o profeta Gonçalves Simão Toco, constituindo um lugar que merece ser bem tratado e respeitado para a honra da memória do profeta. 
 
O bispo foi ao Uíge apresentar o projecto agro-pecuário da igreja ao governo local, com vista a contribuir para o combate à fome e à pobreza na região, assim como a redução da taxa do desemprego no seio da juventude.
 
Na ocasião, o bispo solicitou também o apoio para a concretização do programa agro-pecuário que será implementado na comuna do Nsosos, município da Damba, cerca de 158 quilómetros da cidade capital da província.
 
Deu a conhecer que já se encontram cerca de 100 cabeças de gado bovino na província para o mesmo fim.
 
 
A reabilitação e recuperação da escola do I ciclo do Ntaio e a entrega da mesma e os centros de saúde para que a igreja possa administrar foram entre outras preocupações do chefe espiritual da Igreja Tocoista, apresentadas ao governador Paulo Pombolo durante a audiência.
 
 
Afonso Nunes apresentou ao responsável da província o troféu da "Raça Negra" e o certificado que a igreja  conquistou pelo mérito do trabalho que tem feito para a divulgação do Evangelho em todas as nações, recebido na cidade de São Paulo, Brasil.
 
 
Por seu lado o governador da província do Uíge, Paulo Pombolo, mostrou a disponibilidade do governo em continuar a trabalhar  com a igreja nos vários domínios da vida da sociedade.
 
“Pensamos que é preciso continuarmos a desenvolver esforços entre a igreja e o governo para o desenvolvimento da província bem como dignificar a imagem do profeta Simão Toco", rematou.




                                                                                                                                                              Via Angop

 

Pour être informé des derniers articles, inscrivez vous :

Commenter cet article