Publié par fara

 

Por Mazarino da Cunha

 



Fotografia: João Gomes 

O líder da Igreja de Nosso Senhor Jesus Cristo no Mundo salientou, em Luanda, numa palestra sobre “O Papel da Igreja no Desenvolvimento de África”, a importância dos governantes africanos darem exemplos de mudança de comportamentos.

 

O bispo disse que a democracia e o desenvolvimento social, económico e cultural devem ser motivo de reflexão nos 54 países que constituem o continente africano.


“Anunciar o amor, a justiça e a verdade é a nossa missão em todos os processos de mudanças sociais e políticas em África e a Igreja tem responsabilidades acrescidas,”, declarou o bispo. D. Afonso Nunes referiu que “a Igreja deve assumir o papel de pacificador e não apenas de observador” e que “a evangelização de Cristo deve ser para todos os africanos “uma luz capaz de garantir a coesão social e cultural”.

Rol de preocupações


O bispo afirmou que a pobreza extrema, a desigualdade social e económica, a crescente criminalidade, a corrupção, a instabilidade, a má distribuição dos recursos e a não-aceitação das diferenças étnicas, culturais e religiosas constituem em muitos países africanos um risco para a estabilização de qualquer país.


A conferência integrou-se nas comemorações do 50º aniversário da criação da União Africana.
A sede da organização continental, antes designada por OUA, está localizada na Etiópia.      

 

 

 

                                                                                                                                                   Via Jornal de Angola

 

 

 

Pour être informé des derniers articles, inscrivez vous :

Commenter cet article