Publié par fara

 

 

 

Maizi ou Mafuta são traduções em Kikongo de óleo. Se primeira palavra pouco se utiliza hoje, senão os anciões, para nova geração, Mafuta é o nome geralmente que se emprega para designar óleo. Para além de ser um nome de produto que serve para preparar a alimentação, Mafuta é um nome muito popular no espaço geográfico correspondente ao antigo Reino do Kongo. Muitos bakongos, sobretudo do sexo feminino, respondem por este apelido.

 

Como sabemos que nesta sociedade, cada denominação tem o seu significado. Não se atribui um nome a uma pessoa sem causa, neste caso, leva-nos a questionar o significado do óleo na vida de uma pessoa, para que esta, seja designada por  Mafuta. Os nomes como Mayamona, Mafwila, Mambwene, Monimambu, N'fwidimawu ou Nginamawu, etc, para quem domina a língua de Nzinga N'kuvu, compreende ràpidamente, o sentido destas palavras. Mas uma pessoa ser chamada óleo, tem sentido?

 

O Zulunkulu Dokota Zuza Divela ( Pror Dr José Carlos de Oliveira ), o antropólogo "Muzombo Branco", doutorado pela Universidade de Cuimbra, nos esclarece que o nome de Mafuta, não significa de maneira nenhuma, o óleo.

 

  "Mafuta é um nome composto, cuja a frase completa é Mambu ma N'futa, em kikongo pode-se também dizer MANFUTA. Neste contexto, Ma(n)futa como sendo o nome de uma pessoa, ser interpretado por óleo, é um erro, que a geração bakongo actual deve corrigir."

 

Assim, Mbuta Muntu Zuza Divela, como uma pessoa em kikongo, pode ser chamada Mambu ma N'futa, que em português traduz-se em Problemas selvagens?

 

"N'futa no kikongo original não significava Selva. N'Futa era designação de uma árvore sagrada, situada na savana, onde esta sociedade ia rezar ou adorar o Nzambi a Mpungu no quadro da religião do NKINSI (ver A origem da palavra NKISI.) , neste  sentido, uma criança que nasce ao ser chamada de Manfuta, significa simplesmente," que é uma Criança Sagrada." Conclui o sábio.

 P8020741

                                         Longi Dokota Zuza Divela  (imagem de S. Kupessa)

                                            (Casa de Fontenário em Óbidos - Portugal)   

 

 

Aprendemos:

Mafuta, como nome de uma pessoa, não signica óleo, mas sim, uma criança sagrada.

 

                                                                                                                                                                                                 

 

                                                                                                           Sebastião Kupessa

 

                  

Pour être informé des derniers articles, inscrivez vous :

Commenter cet article