Publié par fara

George Carlos: O meu partido reúne angolanos na diversidade e nunca procurou dividir

Por Sebastião Kupessa

Não é segredo para ninguém, que entre o partido governante em Angola, o MPLA e a diáspora Angolana, a lua de mel nunca foi consumida, por razões que não interessa relatar aqui. Na comunidade angolana na Confederação Helvética, a presença do MPLA foi sempre tímida, o pequeno comité constituído antes do ano 2008, recusava mostrar a cara, limitando as suas actividades na embaixada ou em lugares de conivência dos poucos membros que possuia. Mas ùltimamente as coisas mudaram, graças ao programa de aproximação da Embaixada de Angola com os angolanos residentes, encarnado pelo carismático Embaixador Osvaldo Dos Santos Varela, com esta acção louvável, o MPLA na Suiça aproveita para restruturar-se, graças a uma direcção recentemente eleita, que não sentem vergonha em exibir a camisola do seu partido. A secção da diáspora do presente Portal dedicado a província nortenha angolana com o cheiro do café e a sua cultura, foi convidada a assistir na criação de mais um CAP (Comité de Acção do Partido), aproveitamos esta honra, para fazer perguntas ao senhor, perdão, ao camarada que parece ser o responsável da reunião, por razões da curiosidade, o que descarta as de propaganda, o que obriga-nos agradecer-vos pela compreensão.

Muana Damba: O Senhor como te chamas e o que fazes aqui?

George Carlos: Chamo-me George Carlos. Sou o Secretário da Comunidade do partido do MPLA aqui na Suiça. E estámos aqui para oficializar mais um Comité do Partido que foi aqui criado.

Quantos Comités do MPLA foram já criados aqui na Suiça?

Até aqui foram criados 8 comités com mais 300 membros no total.

A comunidade angolana na Suiça é estimada a 5 mil habitantes, comparando com impacto do teu partido em Angola, 300 membros não sâo poucos?

É pouco, mas como não podemos obrigar os 5 mil habitantes aderir ao MPLA, na realidade o meu partido não esforça os angolanos a serem militantes. Quem achar que pode ingressar as fileiras do MPLA isto não tem problema, gostariamos que todos habitantes angolanos possam aderir ao MPLA.

Como está a relação do MPLA com a comunidade angolana na Suiça?

Excelente! Criámos mecanismos de aproximação entre a comunidade angolana na Suiça com a embaixada. Temos um embaixador desde que chegou aqui tem se preocupado da sorte da população angolana aqui na Suiça, trabalha com muitas organizações angolanas, como o FARA (Forum angolano de Reflexão e de Acção), por exempro, para solucionar muitos problemas que a comunidade enfrenta aqui na Suiça. Os que têm problemas que não podem adquirir documentos nacionais, nós também fizemos alguma coisa neste sentido, atravêz da secretária para os assuntos politicos, caso um angolano tiver problemas de documentos na embaixada e intervimos para encontrar a solução.

Já conseguiram ajudar certos angolanos nesta situação?

Já conseguimos ajudar muitos, não podemos dizer quantos, mas recebemos telefonemas dia e noite de muitos angolanos com problemas na embaixada no que concerne os documentos, nós marcamos o encontro com a embaixada e assistmos o camarada.

Notámos que fora da embaixada, é impossível os angolanos de todas tendências reencontrarem-se, por razões óbvias. Porque não criam um espaço ou uma casa cultural angolana na Suiça?

Esta ideia é muito boa, a ideia de ter uma casa cultural de angola na Suiça é mesmo uma urgência, até que é um dos primeiros projectos que nós lançamos, com sabem, atravessámos uma crise económica actualmente, teremos dificuldades de conseguir um patrocínio para criar uma casa cultural. Mesmo assim nós não vamos cessar de pressionar a embaixada no sentido de nos ajudar, um dia teremos casa onde os angolanos possam se encontrar. Garanto-te que tarde ou cedo isto vai acontecer.

Vivemos tempos de reconciliação, qual é a relaçâo do MPLA com outros partidos da oposição angolana instalados no seio da comunidade angolana?

Olha tenho que te dizer que nós todos somos uma família, a familia angolana, não há motivos para divisão. o MPLA nunca procurou dividir angolanos, ao contrário procura reunir os angolanos na diversidade. Como sabemos que a Suiça foi berço da oposiçâo angolana no exterior, e conta hoje com partidos da oposição como a FNLA, a UNITA e até CASA-CE que foi fundada há pouco tempo. Entre nós existe diálogo, nós nos encontramos quando há necessidades. Apesar de existência destes partidos da oposiçâo na Suiça, o MPLA domina completamente, eles recuaram mesmo, quem manda na comunidade angolana somos nós mesmos.

Mas como afirmas que o MPLA domina na Suiça se só possue 300 militantes entre os 5 mil angolanos na Suiça, estás na possessâo das estatísticas de outros partidos políticos?

Eu digo isso porque estou confiante, nem todos os 5 mil angolanos que habitam na Suiça são reconhecidos na embaixada e os poucos que estâo registados, nós conseguimos vencer a batalha.

Penso que estás a referir "vencer batalha" eleitoral. A diáspora angolana já pode votar?

Ainda não, por falta de condições.

E quantos angolanos estão registados oficialmente na embaixada de Angola na Suiça?

Bom, segundo as estatisticas são acerca de 3 mil angolanos registados, o que é diferente da estatística do estado Suiço. Antigamente só havia 2 mil, mas hoje ja atingimos 3 mil angolanos que a embaixada reconhece.

Supõe-se que existe angolanos que nunca interessaram se registar na embaixada?

Sim porque existem muitos angolanos que nunca deram o primeiro passo de registarem-se na embaixada, porque apresentaram-se como angolanos quando vieram para a Suiça, agora quando se pede para se justificar como angolanos, não possuem documentos originais e ficam longe da embaixada.

Porque não os denunciam ao estado helvético?

Existem camaradas especializadas e competentes para identificarm esses angolanos da origem duvidosa que podem apresentar oficialmente a queixa junto dos serviços migratório da Suiça, este não é nosso trabalho.

Qual é a posição do teu partido, em relação aos que utilizam abusivamente a identidade nacional?

Para evitar possíveis erros, nós priorizamos identificar angolanos em primeiro lugar, como sabes que, o nosso embaixador, o Sr Osvaldo dos Santos Varela, já efectou uma digressão em todos cantões da Suiça, a procura de angolanos, ajudando-os obter os documentos, é uma inovação a este nível, e prepara-se a segunda volta com o mesmo objectivo, quem não aceitar ajuda da embaixada, que chega quase até a sua casa para adquirir documentos, é porque não és angolano!

Recentemente o ministro angolano da Relações Exteriores, o senhor Jorge Chicoti, efectou uma visita de trabalho na Suiça, falou-se da situação dos refugiados angolanos, o teu partido tem programa especial para recepção e inserção na vida social, de angolanos que desejam regressar para Angola?

Este problema é estranho para aqueles que não acompanham o programa do governo, desde há muito tempo que o país acolhe angolanos que vivem no exterior e são inseridos na sociedade angolana segundo as suas capacidades, Os que desejam voltar em Angola, devem primeiro dirigirem-se na embaixada, para obter um salvo conduto e existe um programa especial, a embaixada vai te indicar a organização que vai contactar para acompanhar a sua inserção no país.

Voltando na Suiça, existem muitos angolanos com a formação académica e profissional, a quem, especialmente, podem contactar, se quizerem voltar para o país da origem?

Sempre na embaixada, porque possui a lista dos ministérios que precisam de quadros, o pretendente, regista-se primeiro e será informado posteriormente as demarches a seguir para conseguir um emprego correspondente com a sua formaçâo em Angola.

E os que hesitam ou não têm confiança ao sistema que dirige Angola, tens apelo a fazer para sensibilizâ-los?

O apelo especial que farei aos angolanos formados que vão a embaixada para a devida identificação e reconhecer os seus documentos e seguir o programa do governo. Existe muito trabalho em Angola, sobretudo nas provínciaa. Mas tens que passar num programa especial de acompanhamento. Só assim que se consegue um emprego em Angola.

Somos gratos pela entrevista.

Também vos agradecemos em nome da Comunidade do partido do MPLA.

Os principais membros do Comunidade do partido do MPLA na Suiça. Imagem do MPLA/Suiça

Os principais membros do Comunidade do partido do MPLA na Suiça. Imagem do MPLA/Suiça

Pour être informé des derniers articles, inscrivez vous :

Commenter cet article