Publié par fara

Roubos de viaturas têm Luanda à frente

A Polícia Nacional registou 416 roubos e 345 furtos de viaturas em 2014, com a província de Luanda a dominar as estatísticas nesses tipos de crime, disse ao Jornal de Angola o comissário Aristófanes dos Santos, porta-voz da corporação.

Na capital do país ocorreram no ano passado 391 roubos de viaturas. A seguir vem a Huíla e Bié, ambas com oito casos. Quanto a furtos, foram registados 136 em Luanda, 81 no Bié, 59 em Cabinda, 24 na Huíla, 19 em Benguela e dez no Uíge. A marca mais visada pelos meliantes é a Toyota.


Durante o ano passado, a Polícia Nacional registou um total de 32.629 crimes, a uma média de 109 por dia. As estatísticas apontam para uma redução em relação aos 36.180 delitos assinalados em 2013.


Dos crimes registados, 3.644 (85 por cento) foram esclarecidos pela Polícia Nacional, o que levou à instauração de 316.210 processos crimes, dos quais 15.461 foram concluídos, 15.390 remetidos ao Tribunal, 2.239 foram arquivados, 910 remetidos a outras entidades e 1.200 aguardam a produção de prova. Ao longo do ano passado foram submetidos a julgamento sumário 2.743 processos, com 2.919 elementos detidos, resultando em 2.601 réus condenados e 318 absolvidos. A Polícia executou 6.409 mandados de captura.


Os crimes registados foram roubos, furtos, homicídios voluntários, homicídios frustrados, violações, ofensas corporais, danos materiais, ameaças, raptos, violações e fogo posto. Luanda registou maior número de roubos, homicídios voluntários e violações. Em Benguela, os furtos foram os crimes mais frequentes e na Huíla as ofensas corporais.


Luanda, com 14 crimes por dia, a Huíla com 12, Benguela 11, Bié com oito, Cabinda, Huambo e Cunene todas com sete, representaram as médias mais altas.


Os vários crimes ocorridos levaram à detenção de 27.113 suspeitos, incluindo efectivos da Polícia Nacional, das Forças Armadas Angolanas e elementos pertencentes as empresas privadas de segurança.


Em Luanda, 47 por cento dos roubos ocorreram na via pública, 22 por cento dentro de estabelecimentos comerciais, 20 em residências, dez em viaturas e bancos comerciais.


O sábado foi o dia da semana com mais casos registados, a maioria entre as 18h00 e a meia-noite. Carros, motorizadas, electrodomésticos e dinheiro foram os artigos mais roubados. A Polícia registou 302 crimes de fogo posto. Houve ainda o registo do roubo de 614 cabeças de gado bovino e caprino nas províncias do Cunene, Huíla, Benguela, Namibe, Bié e Cuando Cubango.


A acção policial permitiu a recuperação de 363 bovinos e 226 caprinos, além de 14 burros, 18 suínos e um cavalo, devolvidos aos legítimos proprietários.



Medidas de prevenção



O porta-voz da Polícia Nacional afirmou que, para conter os crimes violentos no país, foi criado um Posto de Comando Superior e reforçado o patrulhamento ostensivo e intensivo nos bairros mais problemáticos. Foram realizadas várias operações denominadas “Kutululuka”, “Motociclista em Segurança”, ­ Sem Álcool”, “Pirataria”, “Ngol” e “Mavimpi” e reforçados o patrulhamento junto às dependências bancárias, postos de revenda de combustíveis, centros comerciais e a presença policial nos locais de maior aglomeração populacional.


Fruto dessas operações, foram desmantelados 320 grupos de marginais, detidos 1.452 suspeitos de associação criminosa e recuperadas 1.964 armas de diversos calibres. Foram registados ainda 1.209 crimes de uso e posse de droga, com destaque para as províncias de Benguela, Huíla, Huambo, Cabinda, Luanda e Cuanza Sul, que resultaram na apreensão de 13.454 quilos de liamba e mais de 67 quilos de cocaína.


O porta-voz da Polícia Nacional referiu ainda que houve um esforço do Comando-Geral da Polícia Nacional na construção e reabilitação de esquadras e postos policiais que entraram em funcionamento em várias províncias do país.


O comissário Aristófanes dos Santos frisou que existem ainda obras por inaugurar, como as instalações da Direcção Nacional de Viação e Trânsito, no bairro Palanca, distrito urbano do Kilamba Kiaxi, entre outras já concluídas e que aguardam apetrechamento.



Menores no crime



Facto preocupante para a Polícia Nacional foi o registo de 1.153 crimes com o envolvimento de menores, dos quais 1.101 do sexo masculino e 52 do feminino.


Desses delitos, 362 ocorreram na via pública, 364 no interior de habitações, 29 em estabelecimentos de ensino, 29 nos mercados, oito em estabelecimentos comerciais.


As faixas etárias mais visadas foram dos 11 aos 15 anos. Foram encaminhados ao Julgado de Menores 856 adolescentes, dos quais 655 acabaram entregues aos pais ou tutores, 76 ficaram em liberdade assistida, 44 sofreram repreensão, 41 advertência e a 40 foram impostas regras de conduta.


A Polícia Nacional tomou conhecimento de 1.212 casos de violência doméstica, que resultaram na detenção de 354 suspeitos. Luanda, Huíla e Malanje foram as províncias com mais casos desta natureza.
Os mais frequentes foram homicídios voluntários, homicídios frustrados, ofensas corporais, atentado ao pudor e ameaças causadas por questões passionais, desavenças, crença no feiticismo, alcoolismo, toxicodependência, frustrações e outros motivos familiares.



Acidentes de viação



As forças policiais tiveram conhecimento em 2014 de 15.039 acidentes de viação, que provocaram 3.783 mortos e 14.384 feridos. Os atropelamentos representaram 32 por cento do total de sinistros.
Seguiram-se os choques entre automóveis (26 por cento), os choques entre velocípedes e motociclos (18), contra obstáculos fixos (nove), despistes (nove) e capotamentos (seis). Luanda com 2.755 acidentes, Benguela 1.577, Huíla 1.481, Huambo 916, Lunda Sul 860 e Moxico 824 dominaram as estatísticas.


O comissário Aristófanes dos Santos afirmou que, apesar do trabalho de prevenção e sensibilização dos automobilistas, os níveis de sinistralidade rodoviária são preocupantes.O intenso movimento de viaturas e peões, a venda de bens na via pública, o comportamento pouco aceitável dos peões na travessia das ruas e estradas estão na base do aumento dos atropelamentos.


A Polícia Nacional anunciou que foram apreendidos durante o ano passado 15.659 veículos automóveis,43.600 motorizadas, 40.971 cartas de condução, 7.497 verbetes, 20.599 livretes, 7.798 títulos de registo de propriedade por diversas infracções ao Código da Estrada.
No âmbito das operações de fiscalização do trânsito automóvel nas estradas nacionais, foram interpelados 3.047 veículos, tendo sido apreendidas dez viaturas e 29 motociclos, das quais quatro descaraterizadas. Registaram-se ainda 16 acidentes ferroviários, sendo 13 atropelamentos, duas colisões entre comboios e viaturas e um descarrilamento, que provocaram 11 mortos, dois feridos, a danificação de uma locomotiva e dois automóveis.

Via JA

Pour être informé des derniers articles, inscrivez vous :

Commenter cet article