Publié par fara

Promoção de Generais 4 de Fevereiro.

Ngola Kabangu escreve ao PR a lamentar a exclusão dos de 15 de Março.

O nacionalista Ngola Kabangu mostrou-se, ontem, indignado, com a atitude do Presidente da República, na qualidade de Comandante em Chefe, por ter promovido a oficiaissuperiores sobreviventes do 4 de Fevereiro, excluindo os de 15 de Março.

“Estou profundamente triste e indignado. O Presidente da República mostrou mais uma vez, que ele não se considera Presidente de todos os angolanos. A sua atitude partidária em nada contribui para o processo genuíno de Reconciliação Nacional”, disse Ngola Kabangu, em declarações ao Novo Jornal.

“Será que em Angola só existem sobreviventes do 4 de Fevereiro de 1961 do MPLA? E onde estão e como são tratados os sobreviventes do 4 de Fevereiro da UPA e os sobreviventes do glorioso 15 de Março de 1961?”, questionou o ex-deputado da FNLA àAssembleia Nacional.

Ngola Kabangu interrogou se aqueles também não têm direito à reforma e à promoção?“Estou revoltado e decidi, na minha qualidade de presidente eleito da FNLA e de Antigo Combatente do 1º, dirigir uma carta ao Senhor Presidente da República, solicitando que os sobreviventes da UPA e os Antigos Combatentes do ELNA sejam honrados, dignificados e enquadrados socioeconomicamente”, disse.

De acordo com ex-presidente da bancada parlamentar da FNLA, “todos eles consentiram inúmeros sacrifícios pela libertação de ANGOLA, que é de todos”.

“Também lembrei, na minha carta ao Presidente da República, que a FNLA é subscritora do Acordo de Alvor e co-fundadora da Nação Angolana, e deve ser respeitada”, afirmou,salientando que “a FNLA tem uma palavra a dizer sobre a Reconciliação Nacional e o processo de Reconstrução de Angola”.

Via Novo Jornal

Ngola Kabangu lamenta
Pour être informé des derniers articles, inscrivez vous :

Commenter cet article